segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Incômodo



Minha pele não é de ouro,
Não é de prata,
Nem tão pouco de bronze,
Mas,
Brilha como a luz do sol,
Da lua,
Das estrelas...

Minhas mãos
Não são de ferro,
Nem de madeira,
Mas,
São firmes,
Fortes,
Assim como meus pés.

Minha cabeça
Não é somente asneiras...
Meu cérebro
É minha arma.
Dispara sempre que preciso.

Tudo em meu corpo
É de importância.

Incômodo?


(André Luiz)
Escrito em meados de 2009 e editado e adaptado em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário