segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A vã noite almada


Transpassada de calma e prazer
E eu ainda estando sem sono
Vejo ela passar com o incômodo,
De ir deitar e não ver.

Sim, muitos não veem o que eu vejo,
muitos não passam tempo assim.
Mal sabem o que perdem
Nas noites que quase não tem fim.

Que pena é que uma hora ela se vai
E leva consigo o que traz de início.
Porque a noite é bela?
E não faz do dia assim?

O que agora vou fazer?
Usar-se do dia para dormir?
Esperar a noite para sentir?
Sentir da noite ao ver?

Vai noite enluarada.
Vai e volta mais tarde pra eu te acompanhar
E ti querer muita companhia,
Com calma e prazer vã.

Não te preocupas,
Que não estou sozinho não.
Tem gente ao meu lado
E também no coração.

Vai e volta logo
Não demora a chegar
Não me deixa esperando não.
Não nos deixa a esperar.

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário