sábado, 29 de outubro de 2011

Sinto...

Falta...
Do apreço para se ver;
Do sentar de cadeirinha;
Do copo de água pedido para ser buscado;
Da vergonha da vizinha ao ver nós se beijando.

Sinto falta do que não tem.

Sinto falta...
Da emoção em ver e escutar minha poesia;
Da saudade que bate quando não se vê;
Da solidão de só pensar em estar só;
Principalmente de estar só para se pensar.

Sinto falta em você.
E mesmo sinto falta de você.

Sinto falta...

Me cai a precisão e penso no descaso que é.
Não parecer com o que deseja,
Se parecesse não teria graça.
É saber aceitar como a vida é.

"O bom é que quando se quer, se aprende a conviver com essa vontade mal preenchida ou se faz por onde mudar algo em si. Em nós."   

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Felicidade

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Fernando Pessoa



segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Palavras libertam!

Quero em palavras dizer o que sinto, Compartilhar... O que me aprisiona calado. Palavras. Que são contra as coisa que me aprisiona. Coisas essas que não me deixam ir por todos os lugares.
As palavras. Palavras essas libertadoras, palavras que livram uma alma.
Livre! Agora sou livre! Pois escutei um "Eu Te Amo!" de você.

(André Luiz)

Eu, você e os pássaros.

Você conhece um pássaro!
Já viu ele voando e pairando no ar!
Lembra?
Na praia!
Ficamos iluminados observando as manobras de um surf no vento.
O pássaro ia e depois, tudo novamente, repetidas vezes, como se fosse novo para ele o que fazia naquele fim de tarde.
Nós dois, lá, observando abismados com tamanha liberdade o pássaro, querendo nós estar em seu lugar.
Sabe o porque de relatar esse fato?
Hoje, podemos ser como aquele pássaro.
Desfrutar do surf da vida, embarcando em ventos mesmo que ferozes, pairar neles de asas abertas, de braços abertos , sentir seu frescor e sua força. Fazer o que aquele pássaro faz, estando lado a lado, não somente nos fim de tardes, mas, por todo o dia, em uma só prancha.
Preciso amor.
Precisamos.
Não podemos ficar o resto de nossas vidas em um lugar apertadinho, sem sentir tudo isso de bom.
Um pássaro precisa de espaço para que possa abrir suas asas.  
Nós precisamos um do outro para podermos voar.
Juntos vamos para o sul no inverno e no verão voltaremos para casa.

(André Luiz)

Sonhos

Quem fala que são de mão beijada se enganam.
São conquistados.
São ditos também como realizações no final de tudo.
Quem falou que daria esperança em um sonho seu, pode não está mais aqui.
Talvez até esqueceu que você existe.
Porém, por você não podem ser esquecidos, engavetados com outras coisas que são empatadas de existir.
Você não pode esquecer do sonho que é seu.
Não pode.

(André Luiz)