sábado, 19 de fevereiro de 2011

O Caminho da paciência.

Ela escorre em minha cabeça e passa por trás do frontal.
Acarreta um arrepio por sua suavidade ainda estando onde está.
Se debruça em minhas costas, apertando, deixando meus pulmões sem ar.
Minha mente já não mais raciocina nesse ponto.
Escorre outra por minha espinha e me faz agora se esguiar para frente.
Percorre por minhas pernas e cai ao chão.
Pronto!
Minha pasciência já foi embora se arrastando.
O que me resta agora é só esperar ela voltar.


André Luiz

Não corro.

Não tenho pressa.
Não corro.
Posso cair e danificar a peça.
A mim.
Caminho lento.
Passo vago,
Sem documento.
Caminho.
Percorro o caminho a sua procura.
Não tenho culpa.
A pressa não tenho.
Não corro.
Posso suar e danificar a peça.
A mim.
Caminho agora mais lento.
A causa é que cheguei a ti.


André Luiz