quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Se...

Se tudo o que pudesse
Se tudo o que vivesse
Se cada dia fosse o mesmo dia
E mesmo assim nós amadurecesse

A vida não deixaria de ser completa
Não seria vazia
Tudo se tornaria pó sem envelhecer
Tudo nasceria sem se ver

De algo mais que pudesse respirar
Seriamos só nós dois no ar
E por mais que pudesse ser parado
Criaríamos o vento sem saber que era vento

Faríamos isso só pra ver
Só pra movimentar
E quando menos esperássemos 
Tudo estaria certo como a gente queria

Tudo seria o que pudesse
Tudo seria o que vivesse
Se cada dia fosse o mesmo dia
E assim como não é

A gente vai vivendo todos os dias
Querendo se ver, ter, permanecer...
Por isso, tudo o que pudesse vivesse
Seria mais feliz se você permanecesse

(Andre Luiz)

Noite fria a de ontem.

Uma brisa fria.
Frio intenso.
E você?
Me batia um arrepio por conta do frio.
Me arrepiava os cabelos.
Me fazia tremer.
Até mesmo gemer.
E você?
Noite fria minha linda.
Uma brisa fria.
Um frio intenso.
E sempre que queria me aquecer
Só pensava mesmo em você.


(André Luiz)