domingo, 4 de julho de 2010

Deixa ser como será.

Só porque eu peco na vontade de ter um amor não posso dizer que sou um louco qualquer. Pois "me atiro do alto que me atiro no peito". Principais circunstâncias de que posso sim. Mesmo que tudo que eu faça, seja comentado ou lembrado por você que se tornou a culpada de um engano que me valeu tempos.
Depois de ter vivido tudo aos beijos e amaços tudo é posto em seu lugar. No lugar que pertence a quem tem ou a quem esta sem se ter. E olhe que não preciso pedir ajuda a nenhum analista.
Deixo tudo assim mesmo sem querer prever mais nada, para depois não se enganar novamente.
É isso! No olhar da lua tenho a certeza que sou uma moldura clara e simples que se vê.

Iaia...

(André Luiz)

PS: É reenventado a partir de frases tiradas da música de Rodrigo Amarante "Retrato pra iaia" e Uma frase retirada de um relato de Fernando Aniteli em uma de suas aberturas de show.

Nenhum comentário:

Postar um comentário