terça-feira, 4 de maio de 2010

O chamado para uma conversa esquecido.

Depois de muito tempo meu eu me chamou para uma conversa.
Fiquei assustado depois que lhe perguntei do que se tratava e ele não adiantou nada, somente disse que na hora eu iria ficar sabendo de tudo.
Falei um, tudo bem! E ele saiu.
Fiquei esperando que aquela hora chegasse logo para acabar com a minha ansiedade.
O pior de tudo que o relógio não cooperava comigo.
Ficava fazendo aquele barulhinho de tic, tac o tempo todo sem parar e isso fazia com que eu não esquecesse da cara do meu eu.
Sabe aquela hora em que alguém te chama para uma conversa seria e que você nesse instante olha sua cara e ela está diferente da do normal? Você imagina logo...
Esperei muito tempo.
Tanto tempo que me acostumei com o barulho do relógio e passei a imaginar que aquilo tinha sido uma tamanha brincadeira só para mim assustar, passando a esquecer aquilo tudo.
Mas, quando menos esperei o meu eu apareceu de novo e tocou num assunto, perguntando se eu me lembrava do chamado que havia feito a um tempo. Disse que não mais acreditava em nada pois já fazia muito tempo. Engano meu. A conversa foi naquela mesma hora.
Era mais uma tentativa dele, sendo aquela a ultima.
Ai, vi o que realmente tinha que se fazer.
Percebi que tudo o que se é para conversar, mesmo que dure um tempão, não podemos esquecer que é verdade e imaginar uma brincadeira.
Se o chamado veio a você é porque é algo serio.

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário