terça-feira, 25 de maio de 2010

Mesmo desgastado, um bom amigo.

Continuar no mesmo barco velho, sabendo que ele vai nalfragar por conta de sua estrutura já comprometida, pode ser uma burrada. Porém, construir um novo, ultrapassa todos os meus ideais conquistados.
O melhor a se fazer é concertar, uma vez em terra, os buracos que o comprometem sem jamais abandonar o velho barco que levou tanto tempo para contruir e que ao qual passou tanto tempo velejando.

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário