terça-feira, 6 de abril de 2010

Não é isso... É aquilo.

Não é o braço... É o amasso.
Não é o toque... É a pegação.
Não é a boca... É o beijo.
E sem contar os delírios de emoção.
Não é isso...
É aquilo que me faz assim.
Sempre avançando o necessário.
Sempre atropelado por esse caminho de emoção.


(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário