domingo, 28 de março de 2010

O óbvio em mim.

É óbvio o prazer estar contido no meu ser. Bem no centro de tudo. Carrega-lo me dá prazer ainda mais e com isso ele vai aumentando sem se preocupar com o espaço e se vai caber ou não.
Se propaga em uma rapidez tão grande que quase tenho que devorar uma preza a cada hora.
Qual tal somente daria prazer pelo desejo dos dois. Mas, estão ocupados despejando sentimentos em ralos que vão parar ninguém sabe aonde.
Só desejo que o meu desejo não fira a ninguém.
Só não sei o que farei comigo quando não puder mais segurar.

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário