segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Quem seriam...

...Realmente aqueles que chamo de doidos?

Os que acordam e pensam em passar um tempo ao lado de quem realmente deseja estar ao lado?
Os que te escolhem como amigo, dividindo com você todos os momentos... Sejam eles de alegria ou tristeza?
Os que brindam contigo a verdadeira alegria e vontade do momento?
Os que te dizem o que realmente você precisa, na hora que precisa? (Afinal, muitas vezes não olhamos para o próprio nariz e não percebemos os nossos defeitos, ficando ainda com defeitos).
Os que de fato lembram de você até mesmo quando acordam? Dizendo: Que vontade se estivesse aqui...
Os que não passam mais ao seu lado, mas que de alguma forma no decorrer dia pensam ou lembram de algum instante vivido em que você esteve presente?
Os que te detestam ou não olham mais para a tua cara?

Quem seriam os que realmente chamo de doido?
Ou de fato o doido aqui sou eu que se pergunta sem parar?
Bem.
Doidos ou não, esses a quem presencio o passar são de verdade o meu hospício, o meu tratamento...

Se se perguntar do que realmente quer ter, com certeza pode ser até considerado como doideira, porem uma analise que estará fazendo da tua vida.

"Se em um instante do dia pelo menos metade do mundo parasse para pensar no que estão realmente fazendo ou vivendo, e/ou com quem vivendo o mundo seria... Um doido diferente dessa anormalidade em que muitos dizem viver. Pois, os doidos são os que realmente se preocupam com a realidade em que vivem. Enquanto os normais passam o tempo todo achando que são normais".

"Sou doido e sou feliz".

E se um dia quiseres ser um doido que faz parte em minha vida, saiba lhe dar com isso que eu sou. Doido!!

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário