domingo, 16 de agosto de 2009

Lágrimas

Suavemente, surge um aperto no peito que me deixa pensativo e inexato.
O que é isso que me consome?
De repente, todas as imagens do momento vêm em mente como se fosse uma avalanche e desmorona sobre mim.
Sem estar ciente do peso da montanha que acabara de desabar ainda surge no cantinho do olho um brilho que em instante vai aumentando, sacando levemente para fora como se quisesse dizer algo.
Simples, escorre pelo rosto sem caminho traçado, sem percurso dito, simplesmente escorre e quando se dá conta surge mais e mais, uma atrás da outra fazendo naquele momento do seu rosto um mar, não de água salgada com ondas grandes e belos animais marinhos, mas um mar de pranto e dor pelo passado presente acontecido.
Desesperadamente elas escorrem, banham e sinalizam algo que magoado a mim aconteceu.
Daí se faz o choro, com total complemento.
Sendo o sinal de que algo está errado.
(Sei que ela pode vir de alegria... Mas essa é mesmo de magoa e decepção).
(André Luiz)

2 comentários:

Gyzas disse...

"Nenhuma pergunta fica sem resposta; Nenhuma lágrima fica sem solução; Nenhum sorriso fica sem retorno; Nenhuma mágoa, sem o perdão."

Tudo vai se resolver, voltaremos a sorrir e a brindar juntos a vida.


Estamos aqui, viu?! Xerãoo.

André Luiz disse...

O bom de tudo é que no fim de uma lágrima sempre temos com quem brindar tudo isso de bom que a vida nos trás. Amizades?? Guardoas em meu coração!
=D

Te adorooooooooooo!!
Doida, doida...

Postar um comentário