domingo, 16 de agosto de 2009

É, você mesmo.


Às vezes queria que fosse como eu.
Em outras poderia mesmo querer e querer ainda mais se visse você se esforçar para isso.
(Já em umas horas vejo que é egoísmo de minha parte).
Mas, não é de eu, querer que alguém se modele aos gostos e quereres meus.
Porém, poderia ao menos fazer algo para agradar e não me deixar tão mal assim ao ponto de fazer coisas que possamos dizer “erradas”, coisas essas que não estavam em meus pensamentos, esquematizados.
Assim com isso, vou aprendendo que o mundo traz pessoas para nos mostrar os pontos em que temos que mudar de verdade para que cheguemos a perder a tal façanha de um mundo em que tudo seja a mim.

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário