terça-feira, 28 de julho de 2009

Uma beleza TELAPINTADA.

Percebo cada linha pintada, cada pincelada dada. Parecem ser bem autênticos, bem como a essência Tupi, percebida por teu rosto arredondado, cabelos mais que negros, nariz logo desmontado de qualquer possibilidade de afilação, boca ainda que pequena e manipulada por traços que não são de tua raça, colar que por muitos é utilizado, cor da pele manchada pelo sol...
Mesmo passando tempos em te observar, não tinha ainda me dado conta de que ficarias em um lygar tão proximo a mim, somente percebi depois de um bom tempo em que o observava e fiquei feliz por saber que poderei te ver a qualquer hora do instante em que estiver aqui.
- Porque não falo do teu amigo??
Te digo que nem mesmo ele olhas para mim. Como poderei falar algo dele? Como falarei se não me dá o privilegio de o admirar? Todas as belezas que são faladas, são as que são vistas por olhos daqueles que as admira. Assim tais ditos são escritos e bem pensados antes de serem colocados diante de tanta beleza mostrada.
Te admiro e de imediato percebo...
Como eu, muitos verão tal beleza estampada em tua tela.
Poucas cores, pouco espaço, mas tudo que trazes é reconhecido, tudo o que te foi reconhecido é dai diferente à tal beleza encontrada em mim.
(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário