terça-feira, 21 de julho de 2009

Querer e não poder

Quero de você palavras sinceras das quais não posso duvidar, sorrisos para que possa ter uma certeza de bons e delicados momentos, abraços apertados para me passar o quão é bom na vida possuir um ser de carne desejada, suspiros de bens ao ouvido, sonoros, por lábios molhados como os teus... Quero de te, um longo beijo de arduos e meladas passadas de língua, ouvir teu coração garantindo que ele acelere estando ao meu lado e fazendo com que para escuta-lo permaneça o meu ouvido colado em teu peito, passagens duradouras de toque em teu couro quente e suado, que me veja como realmente sou sem se deixar levar pelas realidades a que temos que nos submeter. Assim vou querendo. Do querer, o não poder, do não poder a outro e o querer de outro dono já se tem permanecendo no querer de te ter sem poder, no querer que é somente meu e de outro alguém.

(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário