sexta-feira, 3 de julho de 2009

Conciência de um querer que não se pode ter.

Não basta apenas se enrola em seus braços, te beijar, te dizer coisa bonita, te encher de esperanças no momento que é bom.
Não basta se aproveitar de você nas noites de lua estrelada e frias colando o seu corpo no meu para nos proteger do frio e nos dias de sol a pino ficar com você no canto mais quente da casa nos lambuzando com o suor que escorre por entre nossos corpos colados em busca de prazeres.
Não basta até ser como o fogo que arde em uma floresta em chamas, começando fraco e em pouco tempo se espalhando e tomando de conta de tudo.
Não basta, ainda que possamos ser ardentes mais do que imaginamos.
O que basta é ter a sua companhia, confiança depositada em mim, seu carinho dado ao decorrer do dia, sua imagem ao meu lado e acima de tudo a sua amizade. Já que não podemos nos ter por completo, fazer tudo isso na hora que quiser-mos sem magoar pessoas ao nosso lado.


(André Luiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário